Bhaktivedanta Swami

prabhupada_4

 

Abhay Charanaravinda Bhaktivedanta Swami Prabhupada nasceu em 1896 em Calcutá, Índia. Seus pais pertenciam à classe média alta, e ele teve a oportunidade de estudar em escolas altamente conceituadas, além de ser criado com base nos princípios védicos tradicionais. Desde sua infância, Bhaktivedanta Swami manifestava sua devoção ao Supremo com brincadeiras que demonstravam sua consciência espiritual.

Na juventude, trabalhou como químico e teve uma proeminente indústria de produtos farmacêuticos. Casou-se e teve algum envolvimento com o movimento de Mahatma Gandhi.
Em 1922, conheceu Bhaktisiddhanta Sarasvati, líder religioso e fundador de 64 Gaudiya Mathas (institutos védicos). Bhaktivedanta Swami tornou-se seu admirador e, em 1933, seu discípulo formalmente iniciado.

Logo no seu primeiro encontro, Bhaktisiddhanta Sarasvati pediu a Bhaktivedanta Swami para difundir o conhecimento védico em inglês. Nos anos que se seguiram, Bhaktivedanta Swami escreveu um comentário sobre o Bhagavad-gita, ajudou a Gaudiya Matha e, em 1944, fundou a revista quinzenal em inglês Back to Godhead (Volta ao Supremo). Sozinho, Bhaktivedanta Swami editava, datilografava os manuscritos, checava as provas e distribuía pessoalmente cada cópia. Seus discípulos continuam publicando a revista no Ocidente até hoje.

Em 1950, Bhaktivedanta Swami retirou-se da vida familiar, adotando a ordem de vanaprastha (vida retirada) para devotar mais tempo a escrever e estudar. Passou muitos anos residindo no templo histórico de Radha-Damodara, em Vrindavan. Em 1959 aceitou a ordem renunciada de vida (sannyasa). No templo de Radha-Damodara ele começou a trabalhar naquilo que seria a obra-prima de sua vida: uma tradução comentada em vários volumes dos 18000 versos do Shrimad-Bhagavatam (Bhagavata Purana). Nesse mesmo período também escreveu Fácil Viagem a Outros Planetas.

Depois de publicar três volumes do Bhagavatam, Bhaktivedanta Swami viajou para os Estados Unidos, em setembro de 1965, para cumprir a missão delegada por seu mestre espiritual. Trazia consigo nada mais do que uma muda de roupa, alguns livros e sete dólares (em rúpias, o que não tinha valor algum nos EUA). Durante a viagem de quarenta dias, a bordo do navio cargueiro Jaladhuta, Bhaktivedanta Swami sofreu três ataques cardíacos. Mesmo assim, manteve-se determinado em seu objetivo.

Nos primeiros anos em Nova York, Bhaktivedanta Swami viveu como hóspede de imigrantes indianos, intelectuais, místicos e hippies. Só conseguiu fundar a ISKCON após quase um ano de grandes dificuldades e privações.

Antes de sua morte em 14 de novembro de 1977, Bhaktivedanta Swami viu seu Movimento crescer, iniciou milhares de discípulos, escreveu obras que são usadas em universidades do mundo inteiro e já foram traduzidas para mais de 50 idiomas, deu a volta ao mundo quatorze vezes para ministrar conferências, e, sozinho, tornou “Hare Krishna” uma expressão familiar.

Os escritos, traduções e comentários que Bhaktivedanta Swami deixou através de seus livros são reconhecidos e respeitados por muitos acadêmicos, líderes e estudiosos da cultura védica. Bhaktivedanta Swami tornou a cultura de Bhakti-yoga uma realidade na vida moderna do Ocidente, apresentando de maneira coerente e sensata. Todos conhecem algo, ou ouviram falar algo sobre Hare Krishna, mas poucos conhecem Bhaktivedanta Swami. Isto porque ele procurou apresentar a Verdade Absoluta enquanto muitos tentaram se apresentar como a Verdade.

Bhaktivedanta Swami também se destaca como o primeiro mestre espiritual indiano a apresentar e difundir uma filosofia da tradição hindu com fundamento monoteísta e não monista (dvaita-vedanta) à cultura ocidental. Representando uma sucessão discipular com mais de trinta e quatro mestres espirituais anteriores, Bhaktivedanta Swami propagou os meios mais simples de se desenvolver o amor puro pela Suprema Personalidade de Deus.